Você está em: Objetivo / Acontece / 19º Torneio Internacional de Jovens Físicos – Eslováquia

19º Torneio Internacional de Jovens Físicos – Eslováquia


Aluno do Colégio Objetivo, integrante do time brasileiro que concorreu com 130 estudantes de 25 países, conquista a 3ª colocação mundial.

Foram oito dias de competição na Eslováquia. O time que representou o Brasil no Torneio Internacional de Jovens Físicos (International Young Physicists’ Tournament — IYPT) contou com a participação do aluno do Colégio Objetivo Felipe Vignon de Castro Rios. Por seu empenho e dedicação, retornou ao País, no dia 13 de julho, com uma medalha de bronze pela conquista da terceira colocação no mundial.

Superando países tradicionais como Inglaterra, Suíça, Suécia e Holanda, o time brasileiro, sob o comando do professor de Física do Objetivo Ronaldo Fogo, concorreu com 130 estudantes de 25 equipes. O torneio foi realizado na Universidade Comenius, em Bratislava, capital da República da Eslováquia, entre os dias 5 e 12 de julho.

“Ao obtermos um excelente resultado em um torneio de Física de altíssimo nível, deixando para trás países do Primeiro Mundo, despertamos muita admiração. O Objetivo destaca-se como uma das escolas brasileiras mais premiadas nacional e internacionalmente. Ser uma escola premiada nacionalmente já é uma verdadeira glória; porém, ser reconhecida no exterior pela excelência e qualidade do ensino praticado é uma honra para todos nós do Objetivo — na verdade, é uma honra para todos nós do Brasil”, comenta o professor Ronaldo Fogo.

O Torneio, um evento científico de alto grau de complexidade, é dirigido a estudantes do Ensino Médio e tem como característica diferencial a competição por meio de equipes que debatem e resolvem problemas de Física observados no cotidiano.

“A dificuldade da competição está no seu formato. O time deve solucionar problemas previamente conhecidos e ser capaz de discutir e defender sua solução perante outras duas equipes, em debates orais em inglês. Por fim, defendem a solução para uma banca de jurados internacionais”, conta o professor que, nesta edição do Torneio, foi convidado para compor a banca de jurados finalíssima do IYPT.

Desafio

Não foi fácil para o aluno da 3ª série do Ensino Médio do Objetivo Paulista, Felipe Vignon de Castro Rios, conseguir o direito de representar o Brasil na Eslováquia. A primeira etapa da seleção nacional reuniu 90 equipes, com no máximo cinco integrantes. Dos 100 estudantes que participaram da etapa nacional, Felipe foi um dos cinco selecionados para a internacional. “A experiência é, com certeza, única. Não só por ser um torneio internacional, mas por todo o intercâmbio cultural, por conversar e conviver com pessoas de outros países com culturas muito diferentes. É o tipo de experiência que fica para a vida toda”, diz o estudante. Apesar da maratona intensa de estudos e apresentações, os estudantes tiveram a oportunidade de participar de passeios culturais e recreativos. Conheceram castelos e museus em Praga (República Tcheca), Bratislava (Eslováquia) e Viena (Áustria). Felipe considera que as olimpíadas contribuem muito para os estudos diários e ajudam na escolha profissional. “Gostaria que outros alunos se sentissem motivados a participar sempre de olimpíadas, principalmente o IYPT, pois envolve trabalho em grupo e a capacidade de dividir tarefas e responsabilidades.”

International Young Physicists’ Tournament

O IYPT foi criado na Rússia, em 1979, pela Universidade Estatal de Moscou. O Brasil iniciou sua participação em 2004. Na competição sediada na Austrália, os alunos Emanuelle Roberta da Silva e Diogo Rodrigues Bercito figuraram entre os quinze melhores times, superando países tradicionais como os Estados Unidos, Rússia e Holanda.

No ano passado, o time composto por Emanuelle, Diogo e Juliana Ogassavara, concorrendo com outras 24 equipes de 22 países, conquistou a terceira colocação mundial, no torneio realizado na Suécia.

As questões desenvolvidas na competição são escolhidas por coordenadores do IYPT e visam, basicamente, aguçar o desenvolvimento da criatividade, da concentração, do raciocínio indutivo e dedutivo, da habilidade de construir hipóteses, da capacidade de observação, de análise e de argumentação e do estabelecimento de relações de causa e efeito.

Fotos Relacionadas