Pequenos inventores: exposição estimula ideias criativas e a imaginação


Os inventos nascem de simples ideias que vão ganhando forma e se tornam indispensáveis para a humanidade. Já imaginou como seria a vida sem as grandes invenções? A roda, o telefone, a luz elétrica, entre tantas outras, facilitou muito a vida moderna.

Para estimular as ideias criativas e o uso da imaginação em busca de descobertas, o Colégio Objetivo promove a exposição Pequenos inventores, grandes invenções. Destinado aos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental, a atividade une as disciplinas de Português, Ciências e Tecnologia.

No Laboratório de Tecnologia, os alunos fazem diversas simulações para apoiar a aprendizagem, relacionando a ciência com suas experiências pessoais. Depois de várias pesquisas, é proposta uma oficina de criação. “As construções foram tomando forma e as crianças tiveram a possibilidade de trocar experiências e explorar os materiais escolhidos”, explica a coordenadora de Tecnologia, Mônica Moreira.

Os inventos foram planejados e criados pelos alunos. Eles produziram os experimentos a partir do estudo de conceitos da eletricidade, do magnetismo e da robótica. “O trabalho em grupo e a cooperação são essenciais. A proposta é desafiar os alunos a criar, elaborar, inventar, movendo-se pelo prazer de construir algo inédito”, comenta a coordenadora de Ciências do 2º ao 5º ano, Lais Lemes Costa.

A prática correta da sustentabilidade ambiental é outro ponto importante tratado na mostra. “Para as invenções são utilizados muitos materiais recicláveis e peças reutilizáveis”, completa Lais.

Gustavo Santos Severino, do Objetivo Granja Viaja, projetou uma furadeira de bancada com cano de PVC, motor e pilhas. “Gostei muito de participar da atividade; pude usar minha criatividade”, explica.

O grupo das alunas Julia Rosa Erlacher Lorenzo, Maria Gabriela da Rocha, Fernanda Goulart Vale, Maria Eduarda Goulart Vale, Nicole Capraro e Rafaella Coutinho de Mattos, do Objetivo Cantareira, criou o Unicórnio Alegre. “Todas nós gostamos de animais, então tivemos a ideia de usar motor, fios e pilhas para fazer um unicórnio que gira. Gostamos muito do resultado”, comenta Rafaella. 

Projetado para alegrar, brincar, conversar e animar as crianças, o Fly Bot foi idealizado por Larissa Kaori Maiochi, Matheus Vieira de Freitas Torres, Leonardo Borges Fernandes e Pedro Déo Trevissoli de Assis, alunos do Objetivo Vergueiro. “Gostamos de fazer o robô, aprendemos muito sobre o funcionamento do motor e do circuito”, fala Pedro.

Vinicius Tristão Rossi, aluno do Objetivo Teodoro, produziu uma máquina de algodão doce e contou com ajuda profissional para executar o projeto. “Gosto de dificultar as coisas, então resolvi fazer uma máquina de algodão doce. Demorei duas semanas para finalizar, pois precisei da ajuda de dois engenheiros. Gostei muito de testar e ver o resultado final”, comemora.  

Em casa, os pais tiveram papel importante na concepção do projeto, ajudando seus filhos a colocar as ideias em prática.  O empenho dos alunos foi demonstrado para familiares, amigos e educadores que visitaram as exposições realizadas nas unidades.

“Estou apaixonada pela exposição, as crianças explicam muito bem. Essa experiência elas vão levar para vida. O futuro é a tecnologia e o Objetivo está preparando seus alunos para isso. Coloquei meus filhos na melhor escola que eu poderia”, afirma Bianca Garcia Tuschi, mãe de Bruna Tuschi Oliveira, aluna do Objetivo Cantareira.

Para Daniela Barros, mãe do aluno Luiz Henrique Cavalcante de Barros, do Objetivo Teodoro, o incentivo ao trabalho em grupo é fundamental. “O Objetivo promove o trabalho em conjunto, além do individual, e essa iniciativa é muito importante”, declara.

Outros depoimentos:

Cintia Vietri, mãe da aluna Giulia Vietri, do Objetivo Cantareira

“A exposição está maravilhosa. Vemos que é um trabalho pequenininho, mas por dentro é complexo. É perfeito o Objetivo promover esse tipo de atividade, pois eles têm muitas ideias; estimula a criatividade.”

Andy Wei, Juliana de Barros Gonçalves, Mariana Romão Silva e Michelle Chan, alunos do Objetivo Vergueiro

“Fizemos um Chapéu Mexicano. Usamos papelão, rolo de toalha de papel, origamis, fitas, papel com glitter, e para o motor, fio e pilhas. Demoramos três dias para produzir o projeto, gostamos muito de executá-lo, pois aprendemos muito.”

Gabriel Bonfim Andrade Santos, aluno do Objetivo Vergueiro

“Eu e meu pai pensamos em fazer um helicóptero. Usei caixote de madeira, frasco de desodorante, palito de churrasco, cano e uma caixa plástica. Gostei muito de realizar o projeto, aprendi a conectar fios, circuito, entre outras coisas.”

Marina Azeredo, aluna do Objetivo Teodoro

“Meu invento é a máquina de filmes; dentro dela há um sistema que liga uma lâmpada de LED que possibilita ver as imagens. Quando ligo o motor, o filme gira; você escolhe o filme e assiste a tudo por uma abertura na caixa. O invento foi feito em dupla com a Carol Santana. Utilizamos uma caixa de papelão, papel, CD, motores, máscara com linha condutiva. Gostei de fazer esse projeto. Foi bem legal.”

Lucas Bezerra Bianchi, aluno do 3º ano do Objetivo Teodoro

“Para criar essa pantufa com LED, eu e meu pai aplicamos fios e conectamos a bateria de 12 volts com o LED. Ela é bem útil, pois se você precisar pegar algo na geladeira, ou um copo de água, ou alguma outra coisa, e estiver escuro, poderá usar a pantufa para caminhar com mais segurança.”

Confira as fotos: