Leonardo Freire é medalha de prata e 1º colocado de São Paulo na Olimpíada Brasileira de Química


Pelo excelente desempenho, o aluno da 2ª série do Ensino Médio do Objetivo Luís Goes irá participar da seletiva para as Olimpíadas Ibero-americana e Internacional de Química. Seu histórico escolar é marcado por outras importantes conquistas, entre elas, medalhas de ouro na Brasileira de Astronomia 2004 e 2005, prata na Olimpíada Paulista de Matemática 2003, bronze nas Olimpíadas Paulista e Brasileira de Física 2004 e Paulista de Química 2005.

Como foram as provas aplicadas na Olimpíada Brasileira de Química?
A prova estava bem elaborada dentro da dificuldade esperada, com questões de nível médio a difícil.

Quantas fases teve? O que foi exigido?
Três fases. Na primeira fase, fui selecionado por ter sido um dos 20 melhores treineiros na prova de Química da segunda fase da Fuvest. A segunda fase foi a Olimpíada Paulista de Química, quando fui agraciado com uma medalha de bronze, o que garantiu a classificação para a Brasileira. A prova da OBQ foi realizada no dia 3 de setembro, contando com 10 questões de múltipla escolha, valendo 4 pontos cada, e 6 questões analítico-expositivas, valendo 10 pontos cada.

O que achou do seu desempenho?
Considerando minhas expectativas iniciais, o resultado superou-as tremendamente. Porém, pelas minhas expectativas após a prova, acabei me decepcionando um pouco, pois devido à rigorosidade da correção, minha nota acabou sendo mais baixa do que eu esperava. Apesar disso, ter sido o primeiro colocado do Estado de São Paulo, sendo superado apenas por oito estudantes do Ceará e um do Pará, foi uma recompensa gratificante para meus estudos.

Como você se preparou para a Olimpíada?
Freqüentando as aulas preparatórias para a Olimpíada de Química toda segunda-feira, das 14h30 às 20h00, com a professora Melissa e o monitor Bruno. Durante o mês de agosto, estudei bastante em casa com os livros que eles me passaram, fazendo exercícios e tirando dúvidas nas aulas.

Seu bom desempenho na OBQ garantiu uma vaga para as seletivas das Olimpíadas Ibero-americana e Internacional de Química. Como está sendo a preparação?
A professora Melissa me forneceu uma lista de livros para que eu leia e resolva os exercícios. Continuarei tendo aulas com ela toda segunda-feira e, a partir de novembro, também às sextas-feiras.

Qual a importância de participar desse tipo de atividade?
Essas atividades nos propiciam conhecimentos mais avançados, ajudam a desenvolver o raciocínio lógico, a memória e outras atividades cerebrais. Além disso, despertam o gosto dos alunos pelos diversos assuntos que tratam. No meu caso, não gostava de Química e, hoje, gosto bastante.

Acredita que essas competições podem contribuir no estudo diário e no vestibular?
Sim, ao fazer exercícios de nível avançado, as provas do vestibular e mais ainda as da escola acabam se tornando simples. Além disso, essas provas ajudam o raciocínio, melhorando o desempenho não só nas matérias estudadas, mas também em outras.