Semana de Geociências propõe reflexão e conscientização ambiental


Economia de água e energia, reciclagem do lixo e reutilização dos recursos são atitudes que contribuem com a preservação do meio ambiente. Os alunos do 6.º ao 9.º ano do Ensino Fundamental do Colégio Objetivo discutiram esses e outros assuntos, comuns às disciplinas de Ciências e Geografia na 11.a Semana de Geociências e Meio Ambiente do Colégio Objetivo, realizada de 4 a 8 de junho.

Os trabalhos aconteceram em sala de aula, com o acompanhamento dos professores. “Os temas são relacionados às questões atuais ligadas ao meio ambiente. Foi proposta uma temática diferente à cada série”, explica a professora Ana Paula Campolongo, coordenadora de Geografia do 6.º ao 9.º ano do Ensino Fundamental.

Grandes rios, problemas e soluções foi o tema de estudo dos alunos do 6.º ano. O grupo de Roberta Stracieri Janchevis Preiss pesquisou sobre o Rio Tejo. “O Rio Tejo foi poluído por causa das indústrias, da agricultura e das pessoas que jogavam lixo, mas, com o trabalho árduo, conseguiram despoluí-lo. Torço para que isso um dia aconteça com o Rio Tietê”, afirma.  

Os alunos do 7.º ano elaboraram os trabalhos a partir do tema Construções sustentáveis. Iglus, taipas de mão e casas que se adequam ao clima tropical úmido foram alguns dos tipos de moradias estudadas pelos alunos. Eduardo Gallo Polato pesquisou sobre as casas do clima temperado. “As janelas desse tipo de moradia são bem grandes, para entrar bastante luz solar e, assim, economizar energia”, explica.

Saúde em questão: epidemias, endemias e pandemias foi o tema de estudo dos alunos do 8.º ano. A aluna Maria Luíza Miessa Di Genio usou vários infográficos para falar sobre a febre amarela. “A febre amarela tinha sido erradicada no Brasil no século passado, mas recentemente voltamos a sofrer uma epidemia dessa doença. No nosso trabalho esclarecemos dúvidas e explicamos a diferença entre a febre amarela urbana e silvestre”, comenta.

A tragédia de Mariana, o acidente nuclear de Chernobyl e o Césio-137 são alguns desastres ambientais que marcaram o mundo. Os alunos do 9.º ano foram desafiados a falar sobre esses e outros assuntos.

Diego Seiji Araújo Toome e Nicolas Goulart de Moura estudaram sobre a Guerra do Golfo. Eles explicam que o conflito trouxe consequências graves à humanidade: mais de 25 mil aves morreram, entre 15 e 30 mil pessoas morreram ou foram realocadas e 67 trilhões de toneladas de petróleo foram lançadas no mar. “A pesquisa foi muito delicada e envolvente, porque a Guerra do Golfo não se refere apenas ao desastre, há toda uma parte política por trás. Vimos as características políticas e o que aconteceu em consequência do conflito”, explica Diego.

 

Vídeos Relacionados