O Sol da Meia-Noite


Olhe para o céu à meia-noite. Tem sol? Ora, claro que não, seria a resposta, em parte, certa.

Acontece, entretanto, que, nas regiões dos trópicos – no Brasil, por exemplo, o dia tem 12 horas de claridade e 12 horas de noite, mas na região do Círculo Polar Ártico ocorre um fenômeno no verão chamado Sol da Meia-Noite.

Ele acontece por causa da inclinação do eixo da Terra naquela localidade em relação ao plano do sol. Não há noite por quase três meses durante o verão; nos meses de março e setembro o dia e a noite duram aproximadamente 12 horas cada um.

No inverno, a situação se inverte: por estar abaixo da linha do horizonte, o sol desaparece dali, também por cerca de três meses, gerando um fenômeno da natureza chamado Noite Polar. O termo, além de pomposo, gera um outro espetáculo: a Aurora Boreal ou Luzes do Norte.

A Aurora Boreal origina-se nas camadas mais altas da atmosfera e ocorre quando partículas elétricas que vêm do Sol se aproximam da Terra, atraídas por seu campo magnético. Quando alcançam a atmosfera, essas partículas chocam-se com os átomos de oxigênio e nitrogênio, produzindo um magnífico rastro de luz.

Você sabia?
Não é somente o Pólo Norte o privilegiado com o fenômeno das luzes. No Sul, em quase toda a Antártida, acontece a chamada Aurora Austral.